Mais Pizza Makers no Rio de Janeiro e Bahia

A Pizza Makers inaugurou recentemente pontos no Rio de Janeiro (RJ) e em Salvador (BA). A rede é cliente do StudioIno desde o início, em 2016, e está em constante expansão. O crescimento veio tanto com abertura de unidades quanto na diversificação dos serviços e produtos. O StudioIno é responsável pelo branding e conceito da marca, além dos projetos de arquitetura.

Pizza Makers no Rio de Janeiro, projeto do StudioIno
Pizza Makers em Salvador, projeto do StudioIno

O conceito da Pizza Makers é a valorização da cultura do “faça você mesmo”. Estimulando os clientes a expressarem suas ideias, em um ambiente moderno e casual, a rede oferece pizzas que o consumidor monta da forma que achar melhor, acrescentando diferentes opções de ingredientes. O produto fica pronto na hora, com o uso de um forno especial de cozimento rápido. 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Gelateria mineira segue expandindo a rede pelo estado

A Spatola Gelateria e Café deu boas-vindas a 2022 abrindo as portas de mais uma unidade para o público. O ponto novo fica no centro de compras Pátio Matosinhos, em São João del Rei, em Minas Gerais. A história da marca começou em 2019 e, mesmo a pandemia, não impediu o crescimento da gelateria. Com a nova loja, a Spatola conta agora com quatro espaços. A primeira fica em Itajubá, e as outras duas em Pouso Alegre e Três Corações.

O StudioIno criou a identidade visual e o projeto de arquitetura para o novo empreendimento há três anos e a parceria seguiu na medida que a rede foi crescendo.  O conceito por trás da marca Spatola é a ideia de construir uma experiência autêntica para os consumidores, com produtos de alta qualidade e um ambiente amigável e moderno. 

O trabalho de arquitetura incluiu o desenvolvimento do layout para o laboratório de sorvetes com a especificação dos equipamentos a serem utilizados, o estudo de fluxos, as plantas técnicas com detalhes para a instalação. Tudo isso, integrando o interior da gelateria e as áreas de atendimento ao consumidor.

A Spatola Gelateria e Café está em:

Itajubá, na Rua Coronel Renno 258, Centro.

Pouso Alegre, na Rua Adalberto Ferraz 155, Centro.

Três Corações, na Villa Container.

São João del-Rei, no shopping Pátio Matosinhos.

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Beleaf abre fábrica própria para aumentar a produção de refeições veganas

Guiada pelo aumento da demanda dos consumidores, a Beleaf investiu na construção de uma fábrica própria para triplicar a produção de refeições diárias. A empresa comercializa pratos prontos com alimentos de origem 100% vegetal. O espaço, inaugurado em setembro, foi projetado pelo StudioIno, que fez também o acompanhamento da obra.

Localizada no bairro do Brooklin, em São Paulo, a fábrica da Beleaf tem 570 m2 + 200 m2 de área administrativa. Diris Petribú, diretora de arquitetura do StudioIno, detalha que o local foi desenhado dentro de todas as normas e processos, que garantem a saúde e segurança da produção. “A fábrica tem equipamentos de alta performance, montagem com esteira, e processos de cozimento e resfriamento em cook & chill”, conta Diris. Dentre os fornecedores para o produtos usados no projeto estão a Engefood/Rational com fornos combinados, frigideira iVario, ultracongeladores Irinox e Prática, São Rafael, com câmaras frigoríficas.

Cíntia Trovo, gerente de produção da Beleaf, explica que a decisão de construir a fábrica partiu de uma observação do mercado, que indicou um crescimento da busca por refeições prontas saudáveis. “Somos uma indústria de alimentos e precisávamos de um espaço que conseguisse nos ajudar no fluxo de processos. Dessa maneira, aumentaríamos a produtividade e a qualidade dos processos produtivos”, conta Cíntia. Ela diz que Beleaf tem a expectativa de mais que triplicar a produção. Anteriormente, a empresa fazia 3 mil refeições por dia. Com a nova fábrica, a capacidade produtiva sobe para 10 mil marmitas diárias.

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Bolos Mara vira bakery e expande oferta de produtos

Este ano, as opções de produtos da Bolos Mara cresceu para além do nome da marca. Os bolos continuam no cardápio, mas a casa agora oferece também uma variedade de pães, baguetes, pães de fermentação natural, geléias e outras iguarias. Para expandir a oferta, Mara Raquel Siqueira, proprietária do negócio, optou por ter a fábrica e a loja no mesmo espaço, e chamou o StudioIno para cuidar do projeto.

O local fica na rua Rio Grande, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo, capital. Nesse mesmo endereço, Mara iniciou os trabalhos da marca em 2014, também com assessoria de arquitetura prestada pelo StudioIno. Na Bolos Mara, o consumidor vai encontrar estruturas funcionais e um ambiente acolhedor e convidativo. 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Arquitetura e design: o que podemos fazer pelo seu negócio de alimentação

Somos especialistas em arquitetura e design para foodservice. Veja o que podemos fazer pelo seu negócio.

Branding

Criamos novos conceitos de foodservice. Desenvolvemos nome, marca, e outros elementos do branding, construindo a melhor experiência para o consumidor.

Arquitetura

Projetos de cozinha – fazemos o layout e propomos processos, equipamentos e fluxos.

Projetos de ambientação – criamos a atmosfera para comunicar os valores da marca.

Design de equipamentos

Projetamos novos equipamentos e mobiliários para cozinhas e restaurantes, que podem ter aplicações específicas ou serem fabricados em série.

Cozinha para aluguel

Disponibilizamos uma cozinha profissional para aluguel pronta para operar e pensada para as necessidades do delivery.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Gelateria Spatola se prepara para abrir segunda unidade

Em 2019, o empresário Robson Tavares procurou o StudioIno para montar um negócio “do zero”. A ideia era abrir um espaço de café e gelato em Itajubá (MG) e o resultado foi um  projeto completo, desde a arquitetura até a comunicação visual do empreendimento. Assim começou a história da Spatola Gelateria e Café que, este ano, ganha um segundo capítulo. A gelateria já está preparando a próxima unidade, desta vez, em Pouso Alegre! 

Branding

Depois de comandar franquias de um rede de alimentação, Robson abriu a Spatola, seu primeiro negócio 100% próprio, em setembro. O time de design do StudioIno trabalhou com o empreendedor desde o início da concepção do espaço, desenvolvendo o conceito e todo o branding da gelateria. Por trás da marca Spatola, está a filosofia de construir uma experiência descolada e autêntica para os consumidores. Isso será feito por meio de produtos genuínos e de alta qualidade, degustados em um ambiente amigável e moderno, com atendimento carismático e afetivo.

Arquitetura

O trabalho do StudioIno para a Spatola incluiu todas as etapas necessárias para o início de um  novo negócio de alimentação. O projeto de arquitetura incluiu o desenvolvimento do layout para o laboratório de sorvetes com a especificação dos equipamentos a serem utilizados, o estudo de fluxos, as plantas técnicas com detalhes para a instalação. Tudo isso, integrando o interior da gelateria e as áreas de atendimento ao consumidor.

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Como o conceito pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso de um negócio

Quando uma família ou um grupo de amigos decide sair para comer fora, alguns fatores os farão ficar felizes ou chateados com o passeio. A qualidade da comida é essencial, mas outros elementos também contribuem. O atendimento foi bom? O ambiente combinou com a proposta do restaurante? O tempo passado no local foi agradável? A soma de todos esses elementos determina como será a experiência do consumidor. E para oferecer uma experiência positiva o negócio precisa de um conceito forte e bem resolvido. Então, como um estabelecimento de foodservice pode desenvolver um conceito interessante?

O que é conceito em foodservice e porque ele é importante

O conceito é a ideia principal do negócio ou sua identidade central. Essa filosofia vai permear todos os aspectos do empreendimento. Voltando às perguntas hipotéticas acima, é o conceito vai determinar como será o atendimento (informal, glamuroso, lúdico, etc), a decoração (rústica, esportiva, minimalista, etc), entre outros. 

Em resumo, toda decisão administrativa vai passar pelo conceito. Desde o início da obra (que acabamentos são adequados? Que equipamento é ideal para o tipo de serviço proposto?) até o treinamento dos funcionários (qual será a postura no atendimento? Como será o uniforme?). O conceito se fortalece e fica mais claro para o consumidor na medida que é comunicado coerentemente por todos os pontos de contato: decoração, marca, atendimento, mídias, etc.

No final das contas, não é só comida. A experiência é o valor que o negócio vai entregar ao cliente. 

O que faz um bom conceito ser bom 

A importância do conceito para a experiência do consumidor e, portanto, o sucesso de um negócio, é bastante clara. Mas, o que faz um conceito ser bom? Como elaborar um? 

Em nosso trabalho no StudioIno, ajudamos empreendedores independentes e também redes e franquias a formatar e/ou ajustar o conceito dos negócios. Nessa experiência, percebemos que muitos fatores influenciam a formatação de uma filosofia interessante. Porém, encontramos cinco itens sempre presentes:

  • Mercado (público-alvo, cenário econômico, oportunidades, etc)
  • Finanças (capital disponível para investimento e expectativa de retorno)
  • Experiência do consumidor (como o cliente se sente no estabelecimento, que conexão ele forma com o local)
  • Cardápio (como o tipo de alimento preparado e o formato do serviço)
  • Tendências (inovações que começam a ganhar mercado)

Criamos um mapa para auxiliar na formatação / desenvolvimento do conceito em foodservice.

Vamos analisar um por um?

Mercado 

O conceito não fará sentido se não levar em conta o mercado no qual o negócio está inserido. Então, é preciso pensar quem é o público-alvo do estabelecimento e o cenário econômico do setor. Os consumidores são jovens ou mais velhos? Moram perto ou vêm de outros bairros? Tem poder aquisitivo alto ou limitado? Procuram alimentação rápida ou uma mesa para sentar com família? Enfim, que problema ou necessidade o negócio pode resolver para o cliente.

Finanças 

Logicamente, o planejamento tem que caber no bolso. Até a ideia mais criativa cairá por terra se não for financeiramente viável. O empreendedor deve equilibrar o capital disponível para investimento com a expectativa de retorno. 

Experiência do consumidor 

É a experiência que o consumidor teve no restaurante que o fará querer repetir a visitar ou querer falar mal do lugar para os amigos. Ela é totalmente emocional e percebida pelos cinco sentidos humanos: o que vemos, ouvimos, cheiramos, provamos e pegamos. 

A experiência é construída na jornada do consumidor pelos diversos pontos de contato com a marca: visitar o site na internet, telefonar para fazer uma reserva, estaciona o carro, ser atendido no balcão ou na mesa, a atmosfera do ambiente, a qualidade e apresentação da comida e bebida, pagar a conta, etc. 

Cardápio 

Claro que a comida deve ser boa. Mas, além disso, deve casar com conceito. Em muitos casos, o cardápio é a peça principal do estabelecimento e toda a filosofia gira em torno dele. Veremos mais abaixo alguns exemplos bem sucedidos de como a escolha do tipo de menu orientou toda a forma de conduzir e comunicar um negócio. 

Tendências 

Recentemente, A Associação Norte-Americana de Restaurantes (NRA, na sigla em inglês) divulgou um guia com as principais tendências que estão ganhando popularidade no mercado de foodservice. Uma das perguntas feitas durante o estudo foi: que conceito o consumidor procura quando vai comer fora?

Entre as práticas destacadas como em crescimento no mercado estão o uso de produtos locais, a preocupação com uma alimentação saudável, e a adoção do fast casual, mas com um toque de personalização do chef.

Analisando a lista, percebi que os itens não chegam a ser novidade para os operadores brasileiros. Alguns restaurantes e empreendedores daqui, principalmente as novas marcas, já conceberam o conceito de seus negócios alinhados a essas tendências. Abaixo, dou alguns exemplos interessantes.

Para conhecer os novos conceitos de restaurantes, veja o post “10 tendências em conceitos de foodservice”

Mas… qual é o melhor conceito em foodservice?

Então… Tenho uma boa notícia e uma má notícia.

A boa má notícia é que, assim como tudo que é interessante nessa vida, não há “receita de bolo”. Não existe uma fórmula que vá garantir a elaboração de um conceito perfeito. Na prática, o melhor conceito é aquele que funciona, aquele que está adequado ao que o estabelecimento pode oferecer. A boa notícia é que, com base nos elementos acima, é possível desenvolver um conceito forte. 

A comida, o serviço e a atmosfera do ambiente são os fatores mais importantes nesta definição. Uma excelente arquitetura pode atrair clientes, mas não vai mantê-los, não cria fidelidade. O conceito é fortalecido quando é coerentemente comunicado através dos diversos pontos de contato do cliente com o restaurante: a comida, o serviço, o nome, o design da marca, a atmosfera do ambiente, a cozinha, os uniformes. A filosofia do negócio será mais forte na medida que os estes fatores estiverem adequados e equilibrados.

Vejamos exemplos de conceitos coerentes 

Pizza Makers

Conceito: um restaurante fast casual de pizzas e saladas no qual o cliente cria a sua própria pizza. Ele escolhe a massa, os ingredientes e tudo é feito na hora em dois minutos.

Nesse caso, o serviço é o conceito central. O formato da loja foi pensado para dar condições de um fluxo rápido de clientes. O equipamento principal, um forno de pizza, foi escolhido especificamente para permitir que a pizza fosse assada rapidamente e na vista dos clientes. O atendimento é amigável e casual, oferecendo o serviço rápido mas de qualidade que o público pede. A decoração é jovial e moderna, refletindo valores da marca e do consumidor alvo.

Mais sobre o projeto do Pizza Markers

B.lem 

Conceito: trazer os produtos de padaria e doces portugueses para o Brasil, o melhor pastel de nata de São Paulo. 

O conceito gira em torno da exclusividade do produto. Toda a comunicação da marca busca mostrar e reforçar valores associados ao doce. Na decoração, os materiais e detalhes foram definidos para criar um ambiente com personalidade, aconchegante e moderno.

 

Mais sobre o projeto do B.Lem

 

 

 

Texto: Emmanuel Melo 

Emmanuel Melo é designer, membro da FCSI e sócio-fundador do StudioIno  

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Como definir o branding de negócios de alimentação

Qual é a importância do branding na concepção de projetos arquitetônicos? João Carlos Faia, gerente de projeto do StudioIno, falou sobre esse tema em uma aula gratuita para a Escola de Gestão em Negócios da Gastronomia. A conversa fez parte de uma série de conteúdos que a escola está disponibilizando em suas redes sociais e foi transmitida, na última quarta (2/6), no canal da instituição no YouTube.

No vídeo, Faia detalha o papel da comunicação da marca no desenho das estruturas de foodservice. Para ele, para desenvolver um branding eficiente, o negócio de alimentação precisa:

  • Definir o conceito do negócio.⠀
  • Alinhar a comunicação de todos os pontos de contato da marca com o cliente / mercado.⠀
  • Analisar o mercado e estabelecer estratégias.⠀
  • Tornar a proposta de valor clara e comunicar os diferenciais competitivos ao público.
  • Definir critérios para escolhas de cardápio, forma de atendimento, design de interiores, cores, logo, etc⠀

João Carlos Faia é arquiteto pós graduado em Gestão de Marketing. Ele faz parte da Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (FCSI – Food Consultant Society International) e tem no currículo projetos para clientes como IMC, Starbucks, Caterpilar, Deca, Pizza Hut, KFC, Taco Bell entre outros.⠀

 

(Imagem do cabeçalho: Spencer Davis no Unsplash)

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Participe de aula grautita sobre branding em negócios de alimentação

A Escola de Gestão em Negócios de Gastronomia está com uma programação de cursos gratuitos e nós estamos participando!

Nessa quarta-feira, dia 2, nosso gerente de projetos João Carlos Faia vai ministrar uma aula rápida sobre a importância do branding na concepção de projetos de arquitetura para restaurantes. 

A transmissão será no canal do YouTube da escola às 15h.

 

02/06 Quarta

Aula Rápida – 15h00

ARQUITETURA PARA RESTAURANTES: A importância do branding no concepção do projeto

Transmissão: Youtube /negociosdagastronomia

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

 

(Foto do cabeçalho: Unsplash)

Delivery: baixe o ebook gratuito sobre como estrutura o serviço de entrega

Com a necessidade de ficar em casa e evitar lugares com aglomeração, as pessoas estão pedindo cada vez mais comida em domicílio. No mês passado, a CNN divulgou que, apenas na cidade de São Paulo, os pedidos de refeições feitas por aplicativos de delivery aumentaram 44,5%. No estado, esse número subiu 29%. A opção de entrega já vinha crescendo no setor de alimentação, mas agora virou uma necessidade. Como um negócio de foodservice pode migrar para o delivery, melhorar as entregas ou até mesmo crescer nesse cenário? A seguir, uma compilação de vários conteúdos sobre esse tema produzido pela equipe do StudioIno ao longo dos meses de pandemia. 

A diretora de arquitetura do StudioIno, Diris Petribu montou um ebook gratuito com orientações gerais para estabelecimentos de gastronomia que querem estruturar o serviço de entrega. Ela aponta cinco pilares que precisam ser observados:

1 – Mercado = qual será o público? Qual será a área atendida? Qual é o volume de vendas previsto?

2 – Cardápio = será o mesmo do restaurante ou um versão reduzida? Como será a embalagem e apresentação dos pratos?

3 – Vendas e entrega = como serão feitas as vendas, por ferramentas próprias ou de terceiros? Como será o sistema de entrega?

4 – Comunicação = como as ferramentas de comunicação do negócio vão informar ao público sobre o serviço de delivery?

5 – Estrutura física = como o ambiente do negócio, os funcionários e o fluxo de movimentação vai ser adaptado para o serviço de entrega?

 

Clique aqui para baixar o ebook gratuito sobre como se preparar para o delivery.  

 

(Imagem do cabeçalho: Brett Jordan do Unsplash)

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.