Central de cozinhas para aluguel, Delivery Point, abre as portas na zona oeste de São Paulo

Restaurantes que quiserem iniciar ou expandir o serviço de delivery na zona oeste de São Paulo contam agora com um conjunto de cozinhas projetadas especificamente para essa função. O Delivery Point abre as portas em agosto, com estrutura completa pronta para operar, na Rua Venâncio Aires, Vila Pompeia. O espaço fica próximo ao Allianz Parque e, com o alcance dos principais aplicativos de entrega, as refeições preparadas no Delivery Point podem ser entregues a consumidores nos bairros em um raio de sete quilômetros. 

O modelo de negócio da cozinha de aluguel é servir de central de produção para negócios de alimentação. Os interessados podem utilizar o espaço, por exemplo, para aumentar a área de delivery. Um restaurante de massas da Mooca pode alugar uma cozinha no Delivery Point e passar a fazer entregas também na zona oeste. 

Outra possibilidade é utilizar as cozinhas prontas para montar um estabelecimento de foodservice exclusivamente virtual. Isso é, sem espaço físico e atendimento apenas por delivery. 

Seja qual for o formato, o Delivery Point está em uma localização estratégica. Além da própria Vila Pompeia, as cozinhas estão dentro do raio de sete quilômetros de bairros como:  Perdizes, Lapa, Sumaré, Higienópolis, Pinheiros, Água Branca e Casa Verde.

Delivery Point – cozinhas profissionais para aluguel projetadas pelo StudioIno

Cozinhas com estrutura completa

A nova central de produção tem 14 cozinhas independentes, de 15 a 18 metros quadrados, projetadas com foco em higiene, segurança e funcionalidade. Cada uma delas é azulejada e conta com instalações hidráulicas, elétricas e de gás instaladas com medidores separados. As cozinhas têm sistema de exaustão e ventilação individuais, de acordo com as normas sanitárias vigentes.

Jacques Benzakein, um dos sócios do Delivery Point, explica que o espaço foi pensado para garantir o bem-estar dos funcionários. Ele lista alguns diferenciais como “acesso independente, banheiros modernos com chuveiros, armários individuais, fora dos banheiros, para os funcionários de cada cozinha, copa completa com geladeira, forno microondas e bebedouro, além de ambiente climatizado para refeições e descanso.”

Projeto considera o bem-estar dos entregadores e da vizinhança

O projeto do Delivery Point foi feito pelo StudioIno, uma firma especializada em design e arquitetura para foodservice. Ao planejar a estrutura das cozinhas, Diris Petribu, fundadora do StudioIno, explica que pensou também na integração do espaço à vizinhança. Assim, o  Delivery Point conta com “zoneamento adequado, com área ampla para acesso dos entregadores, estacionamento interno para as motos, e espaço na frente do imóvel para carga e descarga permitida”, diz Diris. A experiência dos motoboys também foi considerada no projeto, que dispõe de espaço exclusivo para esse trabalhadores com banheiro e área de descanso climatizada, com bebedouro e café.

Mercado em crescimento

O delivery era tendência no mercado de alimentação antes da pandemia. Já em 2015, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) apontava para o crescimento do delivery. Naquele ano, a Abrasel registrou uma movimentação de 9 bilhões de reais em comidas entregues em domicílios no Brasil. A necessidade de isolamento social dos últimos anos acelerou o que estava no horizonte. 

O delivery é tanto uma forma de expandir negócios como também uma alternativa em si mesma. Alguns restaurantes contam com cozinhas em regiões distintas do estabelecimento principal para chegar a mais consumidores com o delivery. Em outros casos, o restaurante “existe” apenas virtualmente.

“Acreditamos na expansão do mercado de delivery food. Nossa expectativa para o primeiro ano de operações do Delivery Point é termos ocupação total e início da expansão de novas unidades”, diz Jacques Benzakein.

Delivery Point

Cozinhas profissionais para aluguel

Rua Venâncio Aires, 320

Vila Pompeia – São Paulo – SP

05024 – 030

www.deliverypointsp.com.br

@deliverypointsp

11.99990-4239

11.99635-6065

Padaria portuguesa vai abrir três unidades em São Paulo

A B.Lem Padaria Portuguesa vai expandir as operações com mais três unidades projetadas pelo StudioIno. 

Um dos novos pontos da B.Lem será no Super Shopping Osasco, em Osasco (SP). O outro será também em São Paulo, mas dessa vez em Santos, no Shopping Praiamar. Já a terceira unidade será na Granja Viana, em Cotia (SP). 

Projeto StudioIno: B.Lem Osasco
Projeto StudioIno: B.Lem Santos
Projeto StudioIno: B.Lem Granja Viana

A parceria entre o StudioIno e a doceria B.Lem começou em 2014. Desde então, o escritório tem ajudado a marca a expandir operações, em diferentes formatos de atendimento, por vários estados do Brasil como São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Para a B.Lem, o StudioIno criou o projeto conceitual e executivo, seguindo e atualizando o padrão da rede. Os materiais e detalhes definidos para criar um ambiente com personalidade, aconchegante e moderno. 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Conheça as etapas de um projeto de arquitetura

Nesta sexta-feira, 25, a diretora do StudioIno Diris Petribu irá falar sobre as etapas de um projeto de arquitetura para negócios de alimentação. A aula será ministrada junto com a arquiteta Silvana Cambiaghi e faz parte da II Jornada EGG de Arquitetura na Gastronomia. Toda programação é gratuita.

O evento online será realizado de 21 a 25 de junho e contará com aulas, palestras e conteúdos técnicos. Entre os temas abordados estão: projetos de cozinhas industriais, especificação de equipamentos, luminotécnica e light design, normas técnicas e oportunidades de mercado.

A EGG é a única escola do Brasil focada em Gestão de Negócios para Gastronomia e pioneira em cursos para Arquitetura e Design para Restaurantes e Cozinhas Industriais.

 

Palestra sobre etapas de um projeto de arquitetura 

Dia: Sexta-feira – 25/06

Horário: 19h31

Inscrições 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

 

 

Matéria da UOL aponta crescimento da demanda por cozinhas de aluguel

A UOL conversou com a Diris Petribu, diretora do StudioIno sobre o mercado de cozinhas de aluguel. Ela falou sobre o trabalho do Hub FS e do Hub CK, os dois conjuntos de cozinhas colaborativas que ela comanda. A matéria detalha o funcionamento das chamadas “cloud kitchens” e mostra como esse modelo de negócio ajuda estabelecimentos de alimentação focados no delivery.

O texto conta um pouco da trajetória do Hub FS e do Hub CK até o momento:

“Há cinco anos no mercado de cloud kitchens, o StudioIno começou o negócio com um imóvel de três cozinhas em Perdizes, zona oeste de São Paulo, voltado para dar suporte a food trucks e startups que atuam na região, o Hub Foodservice. Em 2019, investiu na adaptação de outro edifício com mais dez cozinhas e estrutura para delivery, o Hub CK (cloud kitchen), no mesmo bairro”

Diris explica como foi o investimento nos espaços:

“Os nossos clientes são, na maioria, restaurantes já consolidados. Nem todos têm o delivery próprio. Alguns deles estão sediados em outros pontos da cidade. Como não atendiam à região oeste, decidiram alugar o espaço para ampliar o raio de atuação”

O texto assinado pelo jornalista Bruno Cirilo foi publicado na última semana na página Nossa UOL, que traz conteúdo sobre gastronomia, viagem, moda e estilo de vida. A matéria inteira está disponível aqui.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Ajude a Uná Alimentos a doar alimentos para instituições sociais

A Uná Alimentos está com uma campanha para ajudar duas instituições durante este período de quarentena. Para contribuir, é só doar 10 reais no site www.unaalimentos.com.br. Simone Guerretta, proprietária da empresa, explica que 100% do valor arrecadado será revertido para a compra de alimentos. A Uná opera na cozinha colaborativa do Hub Foodservice e fornece pratos saudáveis ultracongelados para os clientes.

Durante a quarentena, as refeições estão saindo com um desconto de 16%. Guerreta diz que a vontade de ajudar veio da missão da empresa. “A Uná é formada por gente que pensa em alimentos com dedicação, paixão e respeito. O que nos motiva é poder contribuir com alimentos saudáveis, frescos, saborosos e seguros”.

Sorveteria Dona Nuvem aposta no lúdico

A segunda unidade da sorveteria Dona Nuvem será inaugurada nesta sexta-feira, 25, no Morumbi Shopping, em São Paulo. O empreendimento se destaca da concorrência por proporcionar uma experiência lúdica aos clientes. Os sorvetes contam com decorações temáticas caprichadas arrematadas por “nuvens” de algodão doce.

O projeto de arquitetura do novo ponto foi assinado pelo StudioIno. O desafio foi adaptar o conceito que já estava estabelecido no primeiro local para um espaço bem maior. A segunda loja tem 125 metros quadrados.

“Sorvete como surpresa”

Manoel Neto, sócio da Nuvem, conta que teve a ideia dos sorvetes lúdicos quando estava em Londres e visitou algumas sorveterias japonesas na capital inglesa. De volta ao Brasil, ele quis trazer o modelo para cá. “Trabalhamos o sorvete como uma surpresa. Resgatamos a coisa da brincadeira de criança. Até para fazer o pedido o cliente pinta a ficha”, detalha.

Ambientes divertidos

Os sorvetes são tão bonitos que muitos visitantes diziam ter pena de comer. A segunda loja da Dona Nuvem resolve o “problema” colocando o tema em todo o espaço. Há o cantinho do “fundo do mar” e uma área com piscina de bolinhas, por exemplo. “Tudo é bem “fotografável”, pensamos a loja para ser bem visual”, diz Neto. A cenografia da unidade ficou por conta da Mondó

Produtos para levar para casa

Com a inauguração da unidade no Morumbi, a Dona Nuvem estreia também produtos baseados nos personagens e histórias que enfeitam os sorvetes e a loja. Assim, a marca passa a vender ecobags, camisetas, cadernos e canecas para os clientes levarem para casa um pouco da experiência.

 

Dona Nuvem

Morumbi Shopping

Avenida Roque Petroni Júnior, 1089

Jardim das Acácias – São Paulo – SP

 

(imagens: Dona Nuvem)

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Conhecido barman de São Paulo, Souza abre restaurante próprio

Por 13 anos, Deusdete Neris de Sousa construiu sua reputação inicialmente preparando drinks e, depois, na gerência, do Veloso Bar, na Vila Mariana, em São Paulo. Nesse tempo, ele ficou conhecido do público pelo apelido Souza, pelo bom atendimento e pelas caipirinhas caprichadas. Agora, o barman e empresário leva estas características para o próprio negócio, que abriu junto com a esposa Tatiane Balbino. A Esquina do Souza foi inaugurada no início de junho, no bairro da Pompeia.

 

Que tal uma caipirinha com dois tipos de uvas e hortelã? Ou quem sabe uma versão da tradicional bebida brasileira com três limões e rapadura? Essas são algumas das novidades do cardápio na Esquina do Souza. Além das misturas com cachaça, o menu traz variedades de chopes tirados na hora e diversos petiscos e comidinhas.

O projeto da cozinha e do salão do novo empreendimento foi feito pela equipe de arquitetura do StudioIno. O espaço tem área total de 90 metros quadrados e capacidade para atender até 70 pessoas.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Cafeteira brasileira ganha mercados africano e sulamericano

O brasileiro adora café e, entre todos os tipos, a preferência nacional é o coado. Ciente da qualidade deste produto nacional, a Titã lançou a Coffee Line, uma linha de cafeteiras de café coado com capacidade para quatro litros. O produto agora está ganhando o mundo com exportações para países da América do Sul e do continente africano.

O desenho do novo produto foi desenvolvido pelo StudioIno. O objetivo foi somar melhorias a um equipamento tão conhecido utilizando design, matéria prima e forma de utilização simples. Edinael Magalhães, diretor comercial da Titã, diz que, em pesquisas, a empresa verificou que o design para este produto, no Brasil, estava desatualizado. “O mercado estava buscando novas alternativas, com isso surgiu nosso projeto em parceira com Studiolno”.

A cafeteira é destinada para usos em cafeterias, escritórios, padarias, entre outros. Ela tem estrutura totalmente em aço inox escovado. A tampa superior e a pingadeira são em alumínio com pintura eletrostática. Na parte elétrica, a resistência é de aço inox 304 tubular, termostato capilar tem sensor de imersão e a fiação conta com revestimento em silicone que resiste a temperaturas de até 300ºC.

O produto conta com isolamentos que proporcionam economia de energia e torna o uso mais seguro. O formato da cafeteira, semelhante à embalagem de café a vácuo, permite personalização pelo cliente, e as torneiras são fabricadas de forma mais simples para deixar a higienização mais fácil.

Sobre a Titã – A Titã foi fundada em 1993 em São Bernardo, São Paulo, e é uma fabricante especializada em equipamentos elétricos para estabelecimentos comerciais como display térmicos, estufas e fornos.

Design Export – A projeto para a Titã realizado como parte do programa Design Export da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) do qual o StudioIno faz parte. A iniciativa seleciona, por meio de editais, empresas brasileiras com perfil exportador. A partir daí dá todo suporte, inclusive financeiro, para o desenvolvimento de projetos de embalagens e/ou produtos. O incentivo tem como objetivo aumentar a competitividade da empresa na busca de novos mercados no exterior.

Mais sobre a cafeteira Titã – https://www.youtube.com/watch?v=7WbhH1nHhgo

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

10 TENDÊNCIAS EM CONCEITOS DE FOODSERVICE

A Associação Norte-Americana de Restaurantes (NRA, na sigla em inglês) divulgou, recentemente, um guia com as principais tendências que estão ganhando popularidade no mercado de foodservice. Uma das perguntas feitas durante o estudo foi: que conceito o consumidor procura quando vai comer fora?

Para chegar aos resultados, a NRA entrevistou cerca de 1.300 chefs profissionais cadastrados na Federação Culinária Norte-Americana.

 

Emmanuel Melo, diretor do StudioIno, observou as indicações da pesquisa e fez uma análise das principais tendências em conceito de foodservice apresentadas com exemplos brasileiros:

1. Ingredientes hiperlocais

Os chefs estão dando ênfase adicional ao frescor dos produtos. Isso significa que alguns deles estão produzindo os ingredientes no próprio restaurante, com telhados verdes e hortas hidropônicas, onde cultivam mostarda, manjericão, brócolis e muito mais. Não poderia ser mais local que isso.

2. Fast casual com toque do chef

Atendimento no balcão com receitas mais elaboradas e criativas. Os chefs estão explorando cada vez mais o espaço do Fast Food. O segmento do Fast Casual cresceu de forma explosiva na última década e não mostra sinais de desaceleração. Os menus estão focados em ingredientes frescos e de alta qualidade pois, os chefs criam versões de restaurantes finos de hambúrgueres, pizza, sanduíches e muito mais.

3. Ingredientes naturais / menus limpos

Os chefes continuam a prestar mais atenção à qualidade e à proveniência das matérias-primas que utilizam. Eles estão se concentrando em itens minimamente processados ​​e servindo uma variedade maior de alimentos naturais e integrais que são saudáveis ​​e saborosos.

4. Sustentabilidade ambiental

Mais clientes, especialmente os da geração millenium, estão procurando por marcas de restaurantes que compartilhem suas crenças e valores de responsabilidade ambiental. Eles querem empresas que praticam a reciclagem, gerenciam seus resíduos alimentares e utilizam ingredientes de fontes locais. Os chefs, que reconhecem os benefícios da sustentabilidade, estão conquistando novos clientes leais e ajudando a salvar alguns recursos naturais.

5. Produtos de origem local

Chefs sabem que os consumidores estão dando mais atenção ao que comem e que o desejo por produtos cultivados localmente está crescendo fortemente. Muitos também estão trabalhando com os agricultores locais para obter as frutas e vegetais mais frescos e procuram colheitas de menor escala com produtos únicos e variados para inspirar a criatividade culinária.

6. Carne e frutos do mar de origem local

Os cozinheiros querem a proteína da mesma forma que os vegetais – frescos e criados localmente. Trabalhar com espécies de peixes nativas da região ou de um criador local de raças de porcos inspiram os chefs a serem criativos com menus, indo ao encontro dos consumidores interessados em tudo o que é local.

7. Redução de resíduos de alimentos

Os restaurantes estão preocupados e interessados em desenvolver mais formas de reduzir a quantidade de resíduos alimentares que geram e jogam fora. Eles estão começando a servir porções menores, a doar comida não utilizada aos necessitados, e a reciclar ou enviar resíduos para compostagem. Esses procedimentos também ajudam os restaurantes a serem mais eficientes e a reduzir os custos da produção.

8. Kits de refeição

Desde 2012, o negócio do kit de refeição tem crescido a passos largos e os restaurantes estão entrando nessa ação. Esses pacotes de ingredientes selecionados e porcionados oferecem aos consumidores a opção de cozinhar as refeições em casa. É um caminho entre o “take away (comprar a comida pronta) e o scratch” (fazer tudo desde o começo) em casa.

9. Simplicidade / voltar ao básico

Consumidores e chefes estão ficando nostálgicos dos velhos tempos. Lembra-se de quando a gastronomia molecular era o negócio da vez? Agora, pense em antes da época da química culinária, quando os chefs trabalhavam principalmente com métodos simples de preparação e receitas simples. É isso!

10. Nutrição

Os consumidores estão ficando mais inteligentes sobre os alimentos que comem e mais sintonizados com os próprios corpos. Eles querem fazer escolhas de refeições melhores e mais saudáveis ​​e comer em restaurantes que oferecem boas escolhas para eles e suas famílias. Eles estão olhando não só para o que geralmente é considerado “saudável”, mas o que é realmente saudável para eles, seja uma dieta baixa em carboidratos, ou opções com mais vegetais ou grãos integrais.

Como o Brasil está adotando essas tendências

Os conceitos apresentados na pesquisa da NRA como as principais tendências do foodservice, não chegam a ser novidades para os operadores brasileiros. Alguns restaurantes e empreendedores aqui, principalmente as novas marcas, conceberam os seus negócios alinhados a essas tendências, validando, de certa forma os dados colhidos nos EUA.

Alguns exemplos em nosso país:

Hiperlocais

O TUJU tem a sua horta na frente do restaurante na Vila Madalena em São Paulo, enquanto o Chef Rafael Costa e Silva do LASAI no Rio de Janeiro produz os seus ingredientes em horta própria na zona oeste da cidade.

Restaurante TUJU

Fast Casual

A rede de hambúrguer BULLGUER inaugurou sua primeira Fast Casual em Perdizes, São Paulo, com muito sucesso. Atendimento no balcão sem garçons ou taxas de serviço. Oferece opções de lanches bem elaborados com preços honestos, sem os exageros da chamada “gourmetização”.

Bullguer

Redução de resíduos

O novo restaurante BIO, do consagrado Alex Atala, nasceu sintonizado com os novos conceitos, prometendo desperdício zero em sua produção. O BIO foi inaugurado recentemente no Itaim Bibi, São Paulo.

Kit de comida

A CHEFTIME oferece pela internet entrega em domicílio de pacotes prontos para cozinhar.

Kit Cheftime

 

Outros exemplos poderiam ser citados, mas deixo para os leitores criarem a sua própria lista e compartilharem se quiserem.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

 

O que diferentes especialistas podem fazer por um negócio de foodservice e como escolher

Diferentes especialistas atuam no mercado de foodservice. Isso pode ser confuso para o empreendedor ou operador desta área que decida contratar um consultor. Raoni Saade, gestor de projetos e processos da Mapa Assessoria, explica esses diferentes papéis no mais recente vídeo da série Serving Up. As produções são iniciativa da Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (FCSI, na sigla em inglês) que, recentemente, passou a elaborar conteúdo em português e espanhol.

No vídeo, Saade fala do trabalho do MAS (Management Advisory Service, ou consultoria de gestão) e KD (Kitchen Design, design e arquitetura de cozinhas). Segundo ele, os dois trabalhos se completam e devem ser exercidos por especialistas diferentes. Os dois são importantíssimos. O KD precisa, por exemplo, da definição do menu para escolher o equipamento correto, e o MAS precisa do KD para projetar os espaços. É uma parceria”.

Assista:

Na gravação, Saade explica também o que é a FCSI e quais são as vantagens de se contratar um consultor que faz parte da sociedade como a obrigatoriedade de atividades de educação continuada entre os participantes. Ele fala ainda que tipo de dúvidas um consultor pode ajudar o cliente a sanar.

A ideia dos vídeos em português partiu do próprio braço da FCSI no Brasil. Os primeiros convidados foram Saade e Nathália Sifuentes, Foodservice & Laundry Consultant. A conversa com Sifuentes será divulgada em breve. “Todo o conteúdo é elaborado em conjunto, a FCSI escreve o material e a gente adequa para o nosso mercado”, explica Saade, que gravou a participação durante um reunião da Sociedade em abril, em Chicago, EUA.

A participação dos brasileiros faz parte de uma estratégia de fortalecer a presença da FCSI na América do Sul. Saade faz parte do grupo desde 2013 e é um dos responsáveis pelo Conselho de Padrões Profissionais para as Américas. O principal trabalho deste grupo atualmente tem sido a adequação para o mercado do Brasil do teste da FCSI para admissão de Membros Profissionais. “Finalizamos o processo de tradução da prova para português, o próximo passo é a adição de áreas de conhecimento específico para a realidade local como, por exemplo, legislação sanitária e trabalhista do Brasil”, explica Saade.

A continuação desses trabalhos já está marcada e a próxima reunião dos brasileiros com a FCSI será nos dias 4 e 5 de agosto, mais uma vez em Chicago, EUA.

FCSI – A FCSI está em atividades desde os anos 1950s tendo adotado o nome atual em 1979. A Sociedade tem representação nas Américas, na Ásia, no continente africano e no Oriente Médio. A instituição reúne mais de 1.300 especialistas do mercado de alimentação e conta com testes rigorosos para aprovar novos membros e promover os antigos. Para continuar sendo parte do grupo, o profissional precisa ainda seguir uma programação de atividades de educação continuada e atuar dentro dos padrões éticos estabelecidos pela FCSI. 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.