Fispal e FCSI oferecem consultorias gratuitas para profissionais de foodservice

Empreendedores do foodservice terão acesso a sessões de consultoria gratuitas durante a Fispal, uma das maiores feiras nacionais do setor de alimentação. A engenheira Isamar Magalhães e o gerente de projetos João Carlos Faias, ambos do StudioIno, estarão entre os profissionais prestando o serviço. O evento será realizado de 11 a 14 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A iniciativa, chamada Fale com um Especialista, é uma parceria da Fispal com a Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (a FCSI, na sigla em inglês). Isamar e João Carlos são integrantes da FCSI como Associate Members. A engenheira estará prestando os atendimentos no dia 11 de junho, à tarde. Já João Carlos, estará no estande no dia 13, atendendo durante a tarde e a noite. Diversos participantes da FCSI no Brasil também estarão na feira atendendo os interessados.

Este é o terceiro ano da ação. Segundo a Fispal, a edição do ano passado foi um sucesso, tendo ajudado mais de 40 empresas de 14 estados brasileiros.

 

Serviço:

Fispal Food Service

11 – 13 junho das 13h às 21h | 14 de junho das 13h às 20h

Expo Center Norte

Fale com um Especialista

11 a 14 de Junho de 2019 na Fispal Food Service

Estande A 176

 

(Imagens: Fispal)

Design brasileiro na NRA de Chicago

A linha KeepMyFood foi exibida pela equipe da Topema Cozinhas Profissionais durante a feira da National Restaurant Association (NRA), que foi realizada de 18 a 21 de maio, em Chicago (EUA).

Desenhada pelo StudioIno em parceria com a Topema, a KeepMyFood é uma família de equipamentos para a exposição e distribuição de alimentos, aquecidos e refrigerados. Eles utilizam placas de vidro temperados e decorativos como superfície térmica para conservar a temperatura das comidas. A linha se completa com protetores salivares, expositores built-in, aquecedores superiores e acessórios.

O desenvolvimento dos produtos começou no final de 2017, quando o presidente da Topema, Nelson Cury Filho, viu um protótipo no StudioIno e se interessou pelo projeto. O trabalho das duas equipes juntas resultou em um equipamento com design simples e eficiente. As bandejas são fáceis para usar e limpar, não utilizam chama aberta ou combustíveis como réchauds, nem água aquecida como em banhos-maria. Versáteis e práticos, esses expositores inovam o serviço de distribuição de alimentos de forma segura para o consumo enquanto agregam melhor percepção de valor ao restaurante e contribuem para uma excelente apresentação profissional dos pratos.

O lançamento da linha KeepMyFood no mercado aconteceu pouco depois disso, em maio de 2018.

Sobre a Topema – A Topema tem mais de 50 anos de história, sendo uma das pioneiras no setor de cozinhas profissionais no Brasil. A marca fabrica equipamentos de cocção, refrigeração e distribuição de alimentos, além de mobiliário de apoio. A Topema é responsável pelas cozinhas de várias grandes empresas nacionais como a Petrobras, a TV Globo e o Pão de Açúcar.

Sobre a feira da NRA – A NRA Show é uma das mais tradicionais no mercado de foodservice e a edição de 2019 foi a centésima da história da associação. O evento recebeu mais de 43 mil visitantes e contou com mais de 2 mil empresas de todo mundo exibindo produtos, lançamentos e inovações.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Oportunidade aberta para empresas interessadas em exportar

Empresas brasileiras interessadas em aprimorar ou criar produtos para exportação têm uma ótima oportunidade com mais uma edição do programa Design Export da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O StudioIno foi, mais uma vez, credenciado como para fazer parte da iniciativa.

A iniciativa é uma parceria entre a Apex-Brasil e o Centro Brasil Design (CBD). O Design Export conecta os empresários a profissionais de design para que recebam consultorias e capacitações. Além disso, o programa oferece apoio técnico e financeiro para a criação de embalagens ou produtos voltados para mercado internacional. A metodologia do Centro Brasil Design, chamada Design na Prática, é aplicada em todas as etapas do projeto e um consultor CBD especializado em gestão do design acompanha todo o processo com o objetivo de potencializar os resultados e minimizar riscos.

Criado em 2013, o Design Export está em sua terceira edição e já atendeu 300 empresas de mais de 120 cidades de 17 diferentes estados brasileiros.

Como participar?

Este ano, o Design Export vai ajudar 600 empresas brasileiras a internacionalizar seus produtos. O primeiro edital de 2019 já está fechado, com o ciclo inicial já começando. Para participar das próximas edições, os interessados devem preencher o formulário no site do programa falando um pouco sobre o produto a ser desenvolvido. Na páginas, estão disponíveis casos de soluções impulsionadas pelo projeto.

A experiência do StudioIno no Design Export

Letícia Castro, diretora superintendente do Centro Brasil Design, explica que por conta do alcance nacional da iniciativa, o edital para seleção dos prestadores de serviço de design de todo o país foi aberto no final do ano passado. Ela detalha que o CDB avaliou os escritórios candidatos “técnica e legalmente para validar os portfólios e documentos, e então, habilitá-los para o Design Export”.

Esta é a terceira vez que o StudioIno se credencia para participar do Design Express trabalhando com as empresas que buscam a internacionalização. Em edições passadas, o escritório desenvolveu quatro projetos:

Fornos combinados

O StudioIno trabalhou com a Prática por duas ocasiões dentro das ações do Design Export, em 2013 e em 2016. Os fornos combinados têm múltiplas funções, assam, cozinham, fritam, regeneram, grelham, gratinam e descongelam. A tecnologia de convecção forçada faz com que os tempos de preparo sejam muito reduzidos e a injeção de vapor permite cozinhar legumes e reduzir a perda de peso nas carnes. Os equipamentos foram exportados para os mercados da Europa, Estados Unidos e México.

Mais informações.

 

Bandeja e estecas

A fabricante brasileira de utensílios plásticos Spland contou com o StudioIno e do Design Export para lançar duas linhas de produtos no mercado internacional, em 2017. As estecas, pequenas hastes com diferentes pontas usadas para decorar bolos, foram desenvolvidas com foco na resistência, precisão, e facilidade de manejo. Para as bandejas, a pesquisa se voltou para tamanhos e materiais, para garantir durabilidade e evitar as deformações que acontecem com esse tipo de produto ao longo do tempo.

 

Cafeteira Titã

Desenvolvida para a Titã, em 2018, as cafeteiras da Coffee Line foram exportadas para a América do Sul e o continente africano. O desenho teve como objetivo somar melhorias ao equipamento utilizando design e matéria prima simples e buscando uma forma de utilização descomplicada.

Mais informações.

 

 

Robô de sorvete

O Robo Frozen foi desenhado para a linha Innovations da Topema, em 2017. O equipamento é uma vending machine totalmente automatizada para a venda de sorvetes, doces e quaisquer produtos consumíveis que possam ser dosados. O Robo Frozen tem interface amigável, acabamentos de alta qualidade e cumprir as exigências de órgãos certificadores nacionais e internacionais.

Mais informações.

O sucesso do Design Export

Os resultados positivos do Design Export são evidenciados pelos números do CBD. Letícia Castro conta que um balanço feito na segunda edição do programa apontou que 97% das empresas participantes informaram expectativa positiva em relação ao aumento de vendas com o novo projeto desenvolvido. “Empresas mais focadas em resultados e com oportunidades emergentes, já executaram investimentos que ultrapassam 100% dos valores financeiros recebidos. Quase a metade das empresas relata otimismo ao apontar uma previsão de aumento de vendas de até 50%”, detalha Letícia.

ApexBrasil – A Apex atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A agência faz isso por meio de ações de promoção comercial, como missões prospectivas e rodadas de negócios, e de atuação com atores públicos e privados para atração de investimentos estrangeiros diretos (IED) para o Brasil. Segundo a agência, as exportações apoiadas pela Apex, dentre e fora do programa de design, somaram cerca de US$ 280 bilhões no acumulado dos últimos cinco anos.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

A importância do BIM na indústria de foodservice

A engenheira do StudioIno, Isamar Magalhães, publicou um artigo na Infood sobre a implantação do BIM em empresas de projeto para foodservice.

No texto, ela detalha quais são as vantagens da ferramenta e quais são os principais desafios para a implantação. Isamar é especialista no uso do BIM e está capacitando a equipe do StudioIno na ferramenta.

“O  BIM oferece benefícios ao empreendimento em todo o seu ciclo de vida. Utilizando-se a plataforma, o projeto deixa de ser elaborado da forma tradicional, evoluindo para a modelagem virtual do que se pretende construir. Além disso, o software permite a inclusão de informações em todos os elementos que serão utilizados no modelo”, diz Isamar.

Abaixo, o artigo completo:

Leia mais:

Consultores, fabricantes e representantes discutem melhores práticas de atendimento no foodservice

Time de arquitetura passa por capacitação em BIM

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Consultores, fabricantes e representantes discutem melhores práticas de atendimento no foodservice

No dia 15 de março, o grupo consultores da FCSI no Brasil se reuniram com os principais fornecedores de equipamentos do setor. A conversa, organizada pela FCSI, teve como objetivo ajustar procedimentos visando melhorar o atendimento aos clientes no mercado de foosdervice. A FCSI é a Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice que, fundada há mais de  60 anos, conta com representantes nas Américas, Europa, Ásia e África.

Ao todo, doze membros da FCSI, entre projetistas e consultores, juntaram-se a 42 representantes dos principais fabricantes e fornecedores de equipamento nacionais e importados, para discutir as melhores práticas para alinhamento de conduta.

O evento foi organizado pelo grupo da FCSI no Brasil, liderado por Marco Amatti, líder da FCSI na América Latina, José Aurélio Claros Lopes, co-líder no Brasil, Emmanuel Melo e Raoni Saad, membros do comitê de normas da divisão Américas. A consultora Nathália Sinfuentes palestrou no encontro, falando com os participantes sobre a tecnologia BIM.

Para Milton Machado, engenheiro e diretor comercial da fabricante Prática, a implantação do BIM é um “processo irreversível”. Ele enxerga uma transição demorada, mas destaca as vantagens do sistema. “Entendemos que é um processo de médio e longo prazo e com a liderança do FCSI essa migração para o BIM será realizada num horizonte de 3 a 5 anos. As empresas brasileiras deverão trilhar esse caminho pois as colocará de igual para igual no contexto internacional com as melhores práticas do mercado”.

O principal resultado prático do encontro foi a criação de uma comissão para acompanhar a padronização das fichas técnicas, manuais e outras informações referentes aos equipamentos. Esses documentos técnicos irão seguir padrões internacionais recomendados pela FCSI e que vão preparar o setor para a plataforma BIM como já vem ocorrendo em todo o mundo. Essa normatização tem prazo de 12 meses para ser implementada.

Os fabricantes também demonstraram interesse em participar da FCSI como membros aliados. Machado explica porque a empresa sua empresa faz parte a Sociedade no Brasil. “A Prática entende que ao apoiar o FCSI está, ao mesmo tempo, colaborando para  o mercado de Food Service no Brasil. A FCSI exerce um papel importante para elevar o grau de qualidade de todo o ciclo que envolve um bom projeto de restaurante profissional. O FCSI é como um selo de segurança para os clientes que contratam esses profissionais, pois eles atuam por procedimentos éticos, se utilizando das melhores práticas operacionais para o funcionamento de um empreendimento”.

O encontro foi realizado no Hub Foodservice.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Time de arquitetura passa por capacitação em BIM

Os profissionais de arquitetura do StudioIno estão passando por capacitações para aprimorarem os conhecimentos em BIM, a plataforma mundial para projetos desse tipo. As aulas focam em Autodesk Revit e são ministradas por Isamar Marchini Magalhães, que é engenheira especializada no software e da equipe do StudioIno.

“O BIM (Building Information Modelling ou Modelagem da Informação da Construção) é uma realidade para o setor de AECO (Arquitetura, Engenharia, Construção e Operação) no Brasil, sendo o Revit uma das ferramentas mais utilizadas para modelagem 3D. Ela é, inclusive, recomendada pela FCSI”. A FCSI é a Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice da qual os gestores do StudioIno fazem parte.

Benefício do BIM para os clientes

Isamar explica que a capacitação é importante porque, em maio de 2018, o Governo Federal assinou um decreto com a estratégia nacional de implantação do BIM no território nacional. “Como o BIM não é algo que seja possível implantar de uma hora para outra, temos que nos preparar para poder oferecer essa tecnologia aos nossos clientes”.

A engenheira cita diversos motivos pelos quais o trabalho com BIM é mais vantajoso para quem está fazendo os projetos e para os clientes. Entre eles, o fato de a plataforma permitir a modelagem virtual do que será construído e a inclusão de dados sobre os materiais que serão utilizados. “Por exemplo, [na ferramenta] uma parede deixa de ser duas linhas paralelas, para receber características dos materiais que a compõe. Os equipamentos deixam de ser retângulos, podendo ter diversas informações agregadas que podem variar desde as informações de suas conexões, instalação, custo ou até mesmo os procedimentos para sua manutenção”.

Por ser um método mais completo de projetar e planejar, a metodologia BIM permite a compatibilização das diversas disciplinas durante a fase de projeto, fazendo com que sejam evitados retrabalhos mais adiante. “As interferências de obra que muitas vezes só conseguem ser verificadas quando da construção, poderão ser checadas na fase de modelagem, resultando em redução de custo e cronograma”, detalha Isamar.

Depois da obra finalizada, os benefícios de se ter projetado com BIM permanecem para os operadores os clientes. Isamar explica que o sistema permite acessar informações do software para gerir, por exemplo, a manutenção dos equipamentos utilizados.

Desafios na implantação

Para funcionar dessa forma integrada, o BIM deve conter uma biblioteca de informações sobre materiais e equipamentos. Atualmente, esses dados ainda não estão plenamente disponíveis quando se trata de itens de fabricantes brasileiros, principalmente para a área de food service. Isso representa um desafio para empresas que estão adotando o sistema. “Precisamos ter disponíveis informações assertivas dos equipamentos que serão especificados no projeto. Seria fundamental a parceria dos fabricantes, que poderiam disseminar as especificações”.

Treinamento

O treinamento foi iniciado em fevereiro. Isamar trabalha com Autodesk Revit desde 2016 e é BIM Manager certificada pelo Zigurat Institute of Technology e o nossoBim.

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Design brasileiro exposto na feira da Nafem na Flórida

Linhas de refrigeradores desenvolvidas pelo StudioIno para empresas internacionais foram apresentados ao público durante a feira da Nafem, a associação norte-americana de fabricantes de equipamentos de foodservice. O evento foi realizado de 7 a 9 de fevereiro, na Flórida, EUA.

Dentre as novidades do grupo mostradas na Nafem Show, está a linha de equipamentos de refrigeração desenhadas para a Fagor, composta por mesas e armários refrigerados e freezeres. A Fagor é uma das marcas que compoẽm o Onnera Group e os projetos foram desenvolvidos em colaboração com as equipes de design e engenharia do Grupo. A empresa está no mercado há mais de 60 anos e está presente nas américas, na Europa, na Ásia e na Austrália.

 

O StudioIno também desenvolveu uma linha de equipamentos para a Micro Matic. A Barline é uma família de refrigeradores feita para o armazenamento e a apresentação de bebidas em bares. Fundada em 1953, a Micro Matic se estabeleceu em 120 países em mais de 50 anos de história, sendo uma das líderes nesse mercado.

Os produtos que o StudioIno ajudou a desenvolver são pensados para estabelecimentos internacionais de foodservice e estão sendo vendidos em diferentes países. Atualmente, o principal mercado tem sido os Estados Unidos.

A feira mais importante do setor

Emmanuel Melo, diretor de design do StudioIno comemora os resultados do escritório na Nafem. “Estamos orgulhosos em ver os nossos projetos expostos na principal feira de foodservice das Américas”, conta.

Esta não é a primeira vez que os desenhos do StudioIno se destacam no evento. Em 2015, o Wine on Tap, uma solução para servir vinhos de forma mais econômica, foi selecionado para exibição na Galeria “O que há de Novo. O que há de Descolado” (What’s Hot, What’s Cool). Organizado pelos curadores da feira, o espaço destaca ideias que traduzem as principais tendências sendo apresentadas no evento.

Este ano, a Nafem Show reuniu mais de 600 expositores e atraiu mais de 20 mil visitantes de diferentes países.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Pesquisa coloca a experiência do usuário no centro da estratégia de foodservice

Como o cliente se sente ao utilizar um produto ou serviço? A experiência é agradável e resolve uma demanda específica? Responder essas perguntas é essencial para qualquer negócio e não seria diferente no setor de foodservice. O StudioIno acaba de entregar uma pesquisa que detalha diferentes aspectos do relacionamento do cliente com uma rede de alimentação.

Inicialmente, o trabalho não era esse. Procurado para projetar melhorias de arquitetura e tecnologia, o StudioIno percebeu que para fazer uma mudança realmente efetiva seria necessário entender melhor quais eram os pontos fortes e fracos da empresa do ponto de vista do consumidor. “Notamos que precisávamos nos aprofundar na experiência do usuário”, diz Emmanuel Melo, diretor de design do StudioIno.

Entendendo a experiência do usuário

Mas, o que é mesmo “experiência do usuário”? Emmanuel explica. “Quando uma família ou um grupo de amigos decide sair para comer fora, alguns fatores os farão ficar felizes ou chateados com o passeio”, diz.  “O atendimento foi bom? O ambiente combinou com a proposta do restaurante? O tempo passado no local foi agradável? A soma de todos esses elementos determina como a experiência do consumidor”, detalha Emmanuel.

A pesquisa do StudioIno investigou como os usuários da empresa cliente percebiam essa experiência. O trabalho englobou: entrevistas diretas com os consumidores, dinâmicas de cocriação com funcionários e gestores, análise e diagnóstico das operações na cozinha e benchmarking.

Como os funcionários criam a experiência

O trabalho com os funcionários foi conduzido pela rede Futurar, parceira do StudioIno. Marcelo Valença, que articulou as oficinas explica que participaram equipes das áreas de trade, marketing e operações.

O primeiro exercício foi a criação de cenários futuros para a empresa, que incentivou os participantes a desenharem avanços para diferentes elementos do negócio como a tecnologia utilizada, a forma de prestar serviço, o cardápio, o branding e a maneira de operar da empresa.

Em um segundo momento, os funcionários participaram de dinâmicas no qual os facilitadores encenavam situações reais descritas por clientes na fase de entrevistas. Os empregados tinham então a missão de contribuir com ideias para solucionar os gargalos encontrados.

Pensando na visão de futuro e nos pontos de melhoria, os funcionários participaram da terceira atividade. Desta vez, o objetivo era imaginar, em um cenário ideal, como seria o atendimento perfeito.

No final desta etapa foi realizada uma grande oficina e alguns encontros com os coordenadores da rede cliente.

Especialistas do StudioIno também passaram horas em uma das cozinhas da empresa para entender melhor como elas funcionavam. Foram observados o fluxo de operações, os equipamentos usados, o tempo de preparo de cada prato, etc.

Resultados

A partir dos resultados das dinâmica e das diferentes pesquisas, foi apresentado ao cliente um relatório com 13 recomendações. O documento mostra pontos que pedem melhorias, orientações para resolvê-los, e o impacto que essas mudanças devem causar na experiência do usuário. Foram observações nos processos de atendimento, da cozinha, de equipamento, configuração do cardápio, política de RH (treinamento e motivação), comunicação visual.

Tudo para tornar a visita ao estabelecimento mais prática e mais agradável.  

 

Mais sobre conceito em foodservice e experiência do usuário 

 

Imagens: Unsplash

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Pizza Makers comemora abertura da décima unidade

A história que começou quando o jovem empresário Greg Machado procurou o StudioIno para desenvolver uma ideia chega, este mês, a um marco: 10 unidades abertas do conceito que acabou se tornando a franquia Pizza Makers.

O primeiro ponto foi inaugurado em dezembro de 2016. O restaurante tem a filosofia “maker” no nome e na proposta. O cliente escolhe como montar a própria pizza e o prato fica pronto em dois minutos graças ao forno super rápido escolhido para o projeto da cozinha.

 

A equipe do StudioIno trabalhou junto do cliente em todos os passos necessários para tirar o projeto do papel e transformá-lo em realidade, desde a concepção da marca até obra  e ambientação do espaço. Ao fim, o projeto todo envolveu: desenvolvimento do conceito, projeto de cozinha, projeto de arquitetura e interior, projetos complementares, e projeto de branding, ou seja, nome, marca, uniforme e elementos gráficos da comunicação com os clientes.

Hoje, a rede tem 8 unidades no estado de São Paulo e duas no Rio de Janeiro. O próximo ponto já está em obras, também em território paulista. Para o futuro, o plano é crescer. Muito. “Este ano temos como meta finalizar o ano com 20 e, até 2022, com 90 lojas”, diz Greg Machado.

Projeto na revista da FCSI

Em 2018, o trabalho do StudioIno para o Pizza Makers foi selecionado para publicação no anuário da Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (FCSI, na sigla em inglês). Todos os anos, a FCSI seleciona os projetos de arquitetura e gestão mais inovadores dentre as ações submetidas por integrantes da sociedade de diferentes países.

Tudo sobre o projeto

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

 

Novidades do foodservice que encontrei em Chicago

No último final de semana, fiz algumas visitas técnicas a novos estabelecimentos de foodservice em Chicago (EUA). A programação fez parte das atividades do Comitê de Padrões Internacionais (CPSTA), do qual eu e Raoni Saade fazemos parte. O CPSTA é um braço da Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (FCSI). Abaixo, compartilho o que chamou minha atenção durante as visitas:

1 – Nova McDonald’s

O novo ponto foi construído no lugar da “fifties McDonalds” ou “Rock’n’Roll McDonald’s”. Enquanto a anterior homenageava a década de 50, a nova é um marco de modernidade e uma unidade “flagship” para a marca. O prédio conta com teto solar, 70 árvores e certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED). Como um cubo de vidro o novo McDonald’s se assemelha às lojas da Apple. As venda são realizadas nos totens e também no balcão, existe ainda a possibilidade de receber o pedido na mesa.  

 

Mais: https://www.independent.co.uk/news/business/mcdonalds-chicago-new-store-opening-apple-flagship-steve-easterbrook-a8490076.html

https://www.youtube.com/watch?v=K0cobPu8Bvg

 

2 – Loja física da Amazon

Recentemente, a Amazon comprou a rede de lojas de comidas saudáveis Whole Foods e abriu a primeira unidade física da marca. Os dois fatos convergem. Na AmazonGo o serviço é realizado sem filas e sem caixas. As compras são debitadas automaticamente na conta da AmazonGo do cliente.

 

Mais: https://www.youtube.com/watch?v=NrmMk1Myrxc

 

3 – Princi Italian Bakery

O estabelecimento de conceito italiano é operado pela Starbucks nos EUA e conta com padaria, focaccias, salada, café e bar.

Mais em: https://www.businessinsider.com/starbucks-bakery-opens-with-princi-photos-2018-8

 

4 – Novidades da Starbucks

As novas lojas da Starbucks têm detalhes como vitrines “frameless” sem molduras e sem serigrafia.

 

 

Emmanuel Melo

Diretor de Design

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.